Mercado aquecido de etanol e dólar alto vão deixar o açúcar mais atrativo em 2020

Para a safra 20/21 a INTL FCStone Inc prevê aumento do mix açucareiro 

Neste mês de janeiro, a INTL FCStone Inc divulgará a revisão de sua projeção das safras canavieiras 2019/20 e 2020/21 lançada no final de outubro de 2019, e que apontou para a região Centro-Sul a produção de 583,3 milhões de toneladas na safra 2019/20 e 585,7 milhões de toneladas para a safra 2020/21. Segundo Matheus Costa, Analista de Inteligência de Mercado – Açúcar e Etanol, da INTL FCStone Inc, esses números podem ser um pouco maiores devido as condições climáticas. “Tivemos retomada das chuvas, embora as precipitações tenham permanecido bem aquém do usual até meados de novembro. As chuvas voltaram e, se essa tendência persistir até o início da próxima colheita, poderá ter um cenário de crescimento maior.”

De forma geral, observa Costa, ocorre maior manutenção dos canaviais. “Esperamos que usinas e fornecedores tenham maior taxa de renovação. Seria de 13,7%. É importante mostrar que essa taxa de renovação tem se mostrado mais expressiva em áreas de fronteira (canaviais de GO e MG). É por isso que a produtividade dessas regiões está apresentando crescimento maior do que outras. Para a safra 2020/21, falamos de uma ATR de 136,3 médio, um crescimento em relação a estimativa da safra atual de 0,2 kg por tonelada. A grande questão de analisar isso é que em outubro não consideramos esse clima mais seco para o final de outubro e início de novembro. Então pode ser que mude. Mas na média será igual.”

Para a INTL FCStone Inc, em termos de produção, o grande destaque é o mix. “Em 2018/19 foi bastante alcooleiro e tende a ser ainda mais na safra atual. Para 20/21 prevemos aumento do mix açucareiro, de 34,6% na safra 2019/20, para 37,4% na safra 20/21. Esperamos um crescimento mais distante dos valores históricos do Centro-Sul”, observa Costa.

O Analista faz a seguinte projeção sobre o mercado de açúcar. “Se observamos as telas futuras na ICE NY, o preço de açúcar em reais por litro de hidratado está bem elevado. Tirando o etanol nessa safra atípica em relação ao preço de etanol, ele tende a ter queda de preço entre maio e junho com o andamento da colheita. Assim, os preços do açúcar em reais por litro estão bem elevados se considerarmos esse pico de safra. Temos indicação de que o açúcar estará mais vantajoso do que o etanol nesse pico de safra. Por isso, projetamos esse aumento.”

Dólar alto é um dos motivos que deve levar a aumento da produção de açúcar na safra 2020/21

O dólar alto contribui para melhores números no mercado de açúcar. “O dólar é importante porque ajuda a acentuar ou mitigar as movimentações internacionais. Na conjuntura atual, o elevado patamar de dólar e um preço mais sustentado do açúcar têm feito com que as usinas observem preços em reais por tonelada nas máximas desde abril. O preço do açúcar, em abril, no contrato contínuo em Nova York estava oscilando entre 13,80 e 14,00 cents por libra/peso. Então vemos o peso do dólar para o mercado de açúcar, principalmente quando olhamos para as usinas do Brasil”, salienta Costa.

 

Fonte: Cana Online – 20-01

 

Relacionadas