Joint venture BP Bunge Bionergia recebe aprovação do Cade

O Cade aprovou a criação da joint venture BP Bunge Bioenergia, que vai combinar as divisões de negócios relativos ao cultivo de cana-de-açúcar, produção de açúcar, etanol e cogeração de energia a partir do bagaço da cana, realizadas em onze usinas no Brasil.

— A fusão foi anunciada em julho e a análise do Cade, concluída ontem (23). O conselho aprovou a operação sem restrições por entender que o mercado brasileiro é suficientemente pulverizado e a combinação das operações não desperta preocupações concorrenciais.

— Após a conclusão, a BP Biocombustíveis e a Bunge Brasil deterão, cada uma, 50% do capital social total e votante da joint venture. A nova companhia terá capacidade de moagem de 32 milhões de toneladas por ano.

“O Brasil é a Arábia Saudita dos biocombustíveis”, afirmou o presidente-executivo da BP Alternative Energy, Dev Sanyal, em julho. 

Na safra 2018/2019, as empresas produziram 1,5 bilhão de litros de etanol, 1,1 milhão de toneladas de açúcar e 1,2 GWh de energia.

Fonte: epbr – 25/9

 

Relacionadas