BP Bunge Bioenergia emprega Drones para auxiliar no controle biológico da lavoura de cana-de-açúcar

 

Entre as inúmeras aplicações das novas tecnologias para otimizar seus resultados no campo, a BP Bunge Bioenergia utiliza Drones telecomandados para distribuir larvas da vespa Cotesia Flavipes nos canaviais das suas 11 unidades, destinadas a realizar o controle biológico da broca-da-cana, espécie de larva de mariposa que provoca grandes perdas de produtividade na cultura da cana-de-açúcar.

As Cotesias, que combatem a praga se alimentando da broca-da-cana, são depositadas em recipientes e lançados pelos Drones, a partir de um planejamento georreferenciado para a melhor eficiência de localização, garantindo resultados adequados ao manejo biológico e substituindo o trabalho que anteriormente era realizado manualmente.

Isso reduz o tempo de distribuição do agente de controle biológico, gerando economia que pode variar de 15% a 20% em relação ao sistema manual e gera mais segurança ao evitar, por exemplo, a exposição das pessoas ao risco de ataques de animais peçonhentos nos canaviais. "O uso dos Drones tem contribuído para a qualificação dos trabalhadores, tanto para a operação dos equipamentos, quanto no preparo e gestão das atividades", explica Rogério Augusto Bremm Soares, diretor Agrícola da BP Bunge Bioenergia.

Além disso, a companhia usa Drones e os chamados Vants, veículos aéreos não tripulados, para realizar o levantamento planialtimétrico dos campos com mapeamento dos terrenos, que antigamente era realizado manualmente, por topógrafos. "Esses equipamentos também são utilizados para: apurar falhas de plantio no canavial; para identificar e pulverizar localmente áreas atacadas por ervas daninhas; para mapear linhas de cana e programar as colhedoras com piloto automático durante a colheita e para o monitoramento geral da lavoura", conclui Rogério.

 

Fonte: BP Bunge Bioenergia – 27/11

 

 

 

Relacionadas